Feedback, como fazer? Cinco passos para alcançar resultados superiores!


Como se preparar para o feedback

Esse texto tem o objetivo de apresentar alguns conceitos relativos ao feedback e ao contexto que envolve essa prática, e como é possível realizá-lo de uma forma efetiva para que se alcance maiores resultados individuais e coletivos nas organizações.

Isso porque a complexidade do mundo atual, inerente às pessoas e empresas, faz com que estas busquem formas alternativas de se desenvolver os indivíduos que fazem parte de suas equipes, se valendo da transparência, empatia e colaboração na comunicação entre as pessoas.

Introdução

A complexidade no contexto mundial é tema mais que recorrente nas empresas hoje em dia. Tanto se fala em mundo VUCA e as transformações pelas quais as organizações precisam passar, para se adaptar a esse ambiente que muda o tempo todo.

Dessa forma, não há como se isolar desse cenário e pensar que seja algo que não vá afetar a todos. É preciso atentar para esse fato e estar, além de preparado, se antecipando de forma a alcançar um resultado superior.

Ademais, as próprias organizações são sistemas complexos, composta por uma gama de interesses diversos e que trocam informações com o mundo externo, carregando uma complexidade ainda maior inerente a cada indivíduo que a compõe.

Sistemas complexos

Portanto, como é possível melhorar o desempenho da sua equipe e os resultados das organizações, diante desse contexto de complexidade externa e interna, em todos os níveis?

Contexto

A avaliação de desempenho

Um primeiro ponto que se deve atentar é para a própria avaliação de desempenho utilizada nas empresas, que normalmente tem um foco meramente individual, desprezando toda essa complexidade que foi mencionada.

Embora possamos ter atividades importantes realizadas individualmente, estas costumam gerar menos valor para o negócio, principalmente quando se referem à tarefas mais manuais e que podem ser facilmente automatizadas.

Na era do conhecimento e das transformações, onde o trabalho coletivo passa a ter cada vez mais valor na busca por soluções inovadoras, pode não fazer sentido monitorar o desempenho destas atividades individuais, sendo necessário buscar-se formas alternativas para tal.

A individualidade

Além da complexidade da organização e do ambiente externo, cada indivíduo em si é um sistema complexo, que possui interesses próprios e uma forma diferente de lidar com o seu contexto, possuindo expectativas diversas quanto a troca que realiza com este.

Portanto, ter um padrão, um processo rígido estabelecido para toda a equipe (que dirá para a organização), que desconsidere essa idiossincrasia, pode trazer enormes prejuízos para o desempenho individual e, consequentemente, o resultado coletivo.

Dessa forma, é preciso compreender que tratar a todos de forma igual não irá permitir que cada um alcance uma maior performance na realização de suas atividades, sendo necessário adaptar o trato no ambiente de trabalho ao estilo de cada indivíduo.

Saber identificar esse tipo de mudança necessária na sua própria comunicação de acordo com o público que irá recebê-la é essencial para que se tenha uma maior efetividade no atingimento de seu objetivo.

Por isso, é importante ressaltar que uma comunicação clara, transparente e adaptada à realidade da sua equipe, principalmente considerando a peculiaridade do indivíduo, é extremamente eficaz para o alcance dos resultados.

Individualidade

Ambiente seguro

Para que a comunicação possa fluir em todas as direções, e não somente de cima para baixo, é preciso estabelecer um ambiente de confiança, onde as pessoas se sintam seguras em expressar seus sentimentos e opiniões.

Isso é denominado de segurança psicológica, a qual fornece a habilidade a alguém em sentir segurança nos relacionamentos com outras pessoas e o ambiente no qual está inserido, promovendo um bem-estar coletivo.

Ambiente Seguro

É o que permite uma maior sensação de aceitação intra e entre equipes, onde as pessoas passam a sentir respeito mútuo e praticam a liberdade para expor seus pontos de vista, sem o receio de serem julgadas ou rechaçadas.

E a tão falada empatia?

Essa palavra especial, embora tenha virado um clichê ou uma buzz word, se torna cada vez mais relevante para que se obtenha ambientes de trabalho colaborativo, essenciais nessa era de transformações.

Tem-se por empatia a capacidade de se colocar no lugar do outro, "calçar os sapatos" de alguém, para saber exatamente onde o "calo aperta" e tentar entender os sentimentos deste, a fim de compreender as suas atitudes.

Empatia

No relacionamento com a equipe, portanto, é extremamente importante ter uma boa dose de empatia e saber tratar as pessoas como ELAS gostariam de ser tratadas, e não como se gostaria de ser tratado.

Por isso, conhecer bem todo o time e a individualidade de cada um, suas necessidades, saber da sua vida e suas dificuldades, faz toda a diferença na hora de se comunicar e se relacionar.

Como alavancar os resultados da equipe e da empresa?

Como já foi apontado, avaliar o desempenho do indivíduo pode não ser tão eficaz. E até mesmo para se avaliar os resultados da própria equipe, é preciso se ter cautela para não se frustrar expectativas ou ter um efeito contrário na sua motivação.

É nesse sentido que o Feedback se torna uma arma extremamente poderosa para aumentar o desempenho das pessoas e da equipe como um todo, pois foca naquilo que é mais importante e que está diretamente ligado ao indivíduo.

Isso porque o desempenho no trabalho apresenta uma relação direta das ações tomadas por uma pessoa de acordo com o feedback recebido do ambiente que ela se encontra, em um processo de retroalimentação muito eficaz.

Líderes excepcionais entendem o poder de ter uma comunicação individualizada e são capazes de estabelecer um canal aberto com a sua equipe, por meio da confiança e transparência, em um ambiente onde todos se sintam seguros.