© 2018 por Gespro  |  Termos de uso e Política de Privacidade  |  Rio de Janeiro - RJ  |  CNPJ: 33.519.510/0001-29

  • Whatsapp
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Gespro
  • YouTube ícone social

Como liderar organizações exponenciais no Mundo VUCA!

31/10/2018

 

Durante seu trabalho na empresa atual ou onde tenha atuado há pouco tempo, certamente você observou que a forma de trabalhar de seu chefe não se encaixa muito bem na mudança cultural que a empresa está vivenciando, com a disseminação de um mindset mais ágil.

 

Ou, de repente, você mesmo está se sentindo um peixe fora d´água, pois está desenvolvendo suas habilidades de liderança e tentando promover a transformação organizacional pela agilidade. Porém, a empresa possui uma gestão mais tradicional, focada no comando e controle, e suas ideias não são muito bem aceitas pela direção.

 

Essa é uma situação corriqueira e que, infelizmente, ainda veremos acontecer durante um certo tempo, até que as empresas se atentem para a mudança necessária de mindset, a fim de que possam minimamente sobreviver no contexto atual.

 

E mais, se há o intuito por parte da empresa de realizar a transformação digital, se torna imprescindível que ocorra uma mudança cultural na organização, que permita o surgimento de uma forma diferente de liderar.

 

A liderança no mundo VUCA (que vem do acrônimo inglês de Volatile, Uncertain, Complex and Ambiguous) deve se basear em um novo modelo, mais antenado com o desejo de crescer e prosperar do indivíduo, via a criação e difusão de ideias novas e adaptativas.

 

Esse crescimento ocorre em três dimensões do conhecimento, a saber:

 

  • Abrangência - se refere à extensão (latitude ou amplitude do conhecimento) e diversidade (qualidade de possuir conhecimento em domínios não adjacentes)

  • Profundidade - obtida através da sistematização e da experiência que geram conhecimento, seja por meio da internalização de conhecimentos produzido por outros ou produzida através da composição; i.e., a sistematização rigorosa de experiências e insights que são únicos à pessoa.

  • Conectividade - integra habilidades, talentos e atividades aparentemente díspares em um todo sinérgico e funcional, unindo a abrangência e profundidade existentes no grupo e o eleva para algo que é melhor do que a soma das partes.

 

Entretanto, no contexto de mercados com crescimento exponencial e explosivo, requer-se um conjunto completamente distinto de iniciativas dos líderes. Isso porque estes enfrentarão cada vez mais uma enorme pressão para que saibam conduzir estratégias que transformem suas empresas em organizações exponenciais.

 

Ou seja, as empresas precisam ser dez vezes melhores, mais rápidas e mais eficientes em custo do que é o padrão atual, superando o aumento da eficiência como estratégia dominante e passando a atuar com base em adaptabilidade e da inovação disruptiva.

 

Para tanto, não cabe somente observar as três dimensões de conhecimento mencionadas aqui, sendo necessário um conjunto mais amplo e profundo de aptidões, de acordo com o conceito de Liderança Polímata estudado por Michael Araki.

 

A evolução conjunta das três dimensões (abrangência, profundidade e conectividade) constitui o que se chama modernamente de polimatia, sendo o processo centrado no desenvolvimento desses aspectos em grupo chamado de Liderança Polímata.

 

Esse estilo de liderança, mais adequado ao mundo ágil e exponencial, é baseado em um padrão de comportamentos que incentiva o alcance de níveis mais altos de aprendizagens, bem como objetiva superar coletivamente problemas difíceis, fazendo transformações e contribuições positivas para a sociedade.

 

Além de promover a evolução das três dimensões, o líder atua também para:

 

  • Desafiar com humildade - conjugação de coragem, confiança e desejo de buscar a verdade, ou ir além do que já existe, com humildade intelectual.

  • Otimizar o Fluxo de Ideias - agir em direção ao equilíbrio, moderando com sabedoria a atividade do grupo, ora promovendo a divergência, ora promovendo a convergência, a depender da sua percepção.

 

O líder polimático é capaz de equilibrar o processo de liderança exercendo influência e dando liberdade de ação. Ainda, deve ser imbuído de 5 qualidades que irão lhe permitir exercer essa liderança de forma plena:

 

  • Visão integrativa - capacidade de desenvolver e manter traços, valores e ideias opostos num grupo e em si mesmo, assim como negociá-los e integrá-los em algo maior.

  • Destreza mental - capacidade de se adaptar rápida e eficientemente ao ambiente, realizando ações para responder à contingências ou novas informações, além de utilizar habilidades ou conceitos opostos, igualmente bem e em equilíbrio.

  • Abertura com visão crítica - aberto a ideias novas e diferentes, mas também consciente e crítico da qualidade, bem como da relevância da informação.

  • Empatia cognitiva - capacidade de compreender as ideias de outra pessoa, assim como o verdadeiro significado ou propósito por trás delas.

  • Força de caráter - conjunção de Autenticidade (relacionamento baseado na transparência) com Coragem intelectual (fazer o que deve ser feito a despeito das pressões contrárias), que ajuda na mudança face à novas informações e integrações.

 

A não observação desses aspectos, principalmente no que tange às três dimensões, podem causar: decisões irracionais ou disfuncionais; superficialidade nos múltiplos interesses; e falta de conexão e colaboração entre os indivíduos.

 

Cabe ressaltar que a liderança é um processo pelo qual um indivíduo influencia um grupo a alcançar um objetivo comum. Essas ações e qualidades aqui descritas, permitem que se exerça esse papel de liderança com aderência ao contexto das organizações exponenciais no mundo VUCA.

 

Portanto, cabe ao líder desenvolver tais aspectos, estando bem preparado para enfrentar os desafios desse maravilhoso novo mundo. E você, é um Líder Polímata?

 

Disponível também no Linkedin.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Please reload

Posts Recentes
Please reload