© 2018 por Gespro  |  Termos de uso e Política de Privacidade  |  Rio de Janeiro - RJ  |  CNPJ: 33.519.510/0001-29

  • Whatsapp
  • Facebook Social Icon
  • Twitter Social Icon
  • Gespro
  • YouTube ícone social

O Gerente de Projetos é um empreendedor por natureza?

No mercado, cada vez mais se busca profissionais com perfis mais completos e diversificados. Muitas das vezes, algumas características entre tais indivíduos para atender às necessidades das empresas, se assemelham e se sobrepõem.

 

Os perfis são traçados a fim de se analisar a compatibilidade com a vaga de emprego e como referência para saber se o candidato é ou não aderente à oportunidade. Dessa forma, tem se considerado no mercado a semelhança entre o perfil do Gerente de Projetos e do Empreendedor, devido a capacidade de "fazer acontecer" de ambos. Mas é pertinente essa comparação?

 

As características e o perfil do empreendedor

 

Ser empreendedor significa ser motivado pela auto-realização, pelo desejo de assumir responsabilidades e ser independente. Os empreendedores estão sempre preocupados em melhorar nas habilidades menos desenvolvidas e se aprimorar nas mais fortes. O que diferencia o empreendedor das outras pessoas é a maneira de como percebe a mudança e lida com as oportunidades tendo iniciativa para gerar um novo negócio, assumindo riscos calculados, criando sempre valor para a sociedade.

 

 

Empreendedores são pessoas que têm a habilidade de ver e avaliar oportunidades, prover recursos necessários para pô-los em vantagens e iniciar ação apropriada para assegurar o sucesso. São orientadas para a ação, tendo o perfil do profissional de sucesso que lidera suas concepções e suas atitudes, que conseguem harmonizar esforços individuais ou coletivos e que criam algo novo e criativo.

 

Algumas das qualidades pessoais de um empreendedor, entre muitas, são:

 

a) iniciativa;

 

b) visão;

 

c) coragem;

 

d) firmeza;

 

e) decisão;

 

f) atitude de respeito humano;

 

g) capacidade de organização e direção.

 

Traçar metas, atualizar conhecimentos, ser inteligente, do ponto de vista emocional, conhecer teorias de administração, de qualidade e gestão, são mudanças decorrentes da globalização e da revolução da informação. Novas habilidades vêm sendo exigidas dos profissionais para poderem enfrentar a globalização com responsabilidade, competência e autonomia.

 

Esse enfoque se volta à disposição de assumir riscos e nem todas as pessoas têm esta mesma disposição. Não foi feito para ser empreendedor quem precisa de uma vida regrada, horários certos, salário garantido no fim do mês.

 

Papéis organizacionais

 

Há algumas diferenças entre os três personagens que correspondem a papéis organizacionais, quais sejam:

 

a) o Empreendedor, que transforma a situação mais trivial em uma oportunidade excepcional, é visionário, sonhador; o fogo que alimenta o futuro; vive no futuro, nunca no passado e raramente no presente; nos negócios é o inovador, o grande estrategista, o criador de novos métodos para penetrar nos novos mercados;

 

b) o Administrador, que é pragmático, vive no passado, almeja ordem, cria esquemas extremamente organizados para tudo;

 

c) o Técnico, que é o executor, adora consertar coisas, vive no presente, fica satisfeito no controle do fluxo de trabalho e é um individualista determinado.

 

 

O empreendedor corporativo

 

As empresas tem procurado e valorizado bastante pessoas que possuam atitudes empreendedoras, que não fiquem de braços cruzados esperando uma ordem, que sejam contestadoras do status quo e estejam dispostas a assumir mais riscos e a inovar mais. 

 

empreendedor corporativo é aquele colaborador que apresenta características especiais como responsabilidade, iniciativa própria, vontade para fazer negócios, vocação para assumir riscos e desejo de empreender.

 

É uma pessoa que se tivesse capital suficiente, talvez até criasse sua própria empresa, mas que se sente feliz como colaborador de uma empresa, desde que possa exercitar seu talento e ser adequadamente reconhecido e recompensado pelo que consegue fazer ou realizar.

 

Nesse contexto, suas características se assemelham muito com as de um gerente de projetos, principalmente quanto a assumir e gerenciar riscos do projeto e na capacidade de liderar a transformação, de fazer acontecer o novo.

 

Tanto o empreendedor corporativo quanto os gerentes de projetos podem ser os artífices da substituição do espirito conservador e burocrático por um espirito de empreendimento profissional e de realização pessoal.

 

 

Entretanto, existe a necessidade do desenvolvimento das competências para o gerenciamento de projetos. Estas podem ser divididas em três grandes grupos:

 

- Competências Técnicas – Envolvem o conhecimento sobre o produto do projeto e as técnicas existentes para gerenciamento de projetos, que abordam, por exemplo, o domínio de ferramentas e técnicas gerenciais, treinamento, capacitação e desenvolvimento de pessoas e aspectos humanos do projeto.

 

- Competências Pessoais – São os chamados "soft skills". Os projetos normalmente exigem que o gerente possua habilidades de negociação, capacidade de se relacionar com clientes e fornecedores e com as demais áreas da organização, resolução de conflitos e o próprioconhecimento das relações de poder e da estrutura das organizações envolvidas no projeto.

 

- Competências Contextuais - Estas são determinantes para o sucesso de um projeto, uma vez que possuir conhecimentos técnicos e habilidades pessoais não são suficiente para se gerenciareficazmente. É necessário saber aplicar esse conjunto às necessidades do projeto e da organização.

 

Estas competências não podem ser vistas de forma isolada, elas devem ser desenvolvidas e aplicadas de acordo com as especificidades do projeto e o gerente deve ter um perfil mais adequado ao desenvolvimento do mesmo.

 

Por exemplo, o perfil de um gerente de projeto que vai comandar uma equipe de cinco engenheiros para modificar o circuito elétrico do comando de um motor é totalmente diferente daquele que vai comandar uma equipe de cem pessoas, pertencentes a três empresas diferentes para o desenvolvimento de um site de comércio eletrônico, envolvendo várias tecnologias.

 

Para entender a gestão de projetos, é preciso ter bem claro que um projeto é um empreendimento com objetivo bem definido, que consome recursos e opera sob pressões de prazos, custos e qualidade. Os projetos, em geral, são considerados atividades exclusivas em uma empresa.

 

Um projeto destina-se a dar origem a um serviço, trabalho ou produto único, que nunca foi feito antes. Com início e fim bem definidos. Ou seja, empreender em algo novo. E nisso o Gerente de Projetos se assemelha ainda mais com o Empreendedor.

 

Capacidade de Empreender e Gerenciar andam juntas

 

Deve-se, então, acabar com a ilusão de que apenas empreender é suficiente. É preciso que se entenda que uma empresa se constrói no dia-a-dia, através de um fluxo contínuo de resolução de problemas, gerenciamento de conflitos e de jogos de interesse, tomada de decisões, relacionamento com clientes e fornecedores, gestão de pessoas e de recursos e um gerenciamento de projetos efetivo.

 

Um dos gurus da administração, Peter Drucker afirmava que tentar dissociar a Administração de Empresas do Empreendedorismo seria o mesmo que dizer que “a mão do violinista que dedilha as cordas e a mão que comanda o arco são ‘adversárias’ ou ‘mutuamente exclusivas’”.

 

O empreendedor deve saber administrar, assim como o Gerente de Projetos também deve ser dotado de forte espírito empreendedor. Somente assim construiremos empresas duradouras e bem sucedidas.

 

 

 

 

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
Please reload

Posts Recentes
Please reload